Notícias


Copel apresenta Mercado Livre de energia elétrica

10/10/2017

Na noite desta segunda-feira (9), a Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) recebeu na reunião da Diretoria, o engenheiro elétrico da Companhia Paranaense de Energia (Copel), Antonio Lemes de Proença Junior, que explanou sobre o Mercado Livre de energia elétrica, disponibilizado para empresas que contam com alto consumo, possibilitando uma tarifa reduzida.

O engenheiro explicou que o mercado de energia elétrica é dividido em duas modalidades, o Ambiente de Contratação Regulada (ACR) e o Ambiente de Contratação Livre (ACL). Ele conta que o ACR, comum para a maioria das pessoas e empresas, tem suas tarifas fixadas pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e não permite a negociação entre o distribuidor de energia e o consumidor de energia. “Já o ACL, também conhecido como mercado livre de energia, é o ambiente onde os preços da energia são negociados entre o vendedor e o consumidor de energia. Este mercado permite que os consumidores escolham livremente seus fornecedores de energia, exercendo o direito à portabilidade de sua conta de luz”, explica.

De acordo com Proença Júnior, a partir de 1º de janeiro de 2019, todos os consumidores com demanda contratada acima de 3.000 kW, independente da data de conexão com a rede elétrica, poderão adquirir energia no mercado livre e escolher seu fornecedor. “O principal objetivo é a redução da tarifa de usuários com alto consumo, mas para isso, a compra deve ser efetuada com antecedência, como por exemplo, a aquisição de uma passagem aérea. Quanto antes comprar mais barato fica”, ilustrou o engenheiro.

O convidado salienta ainda que dificilmente o valor da energia elétrica é reduzida no ACR, em virtude disso, a modalidade livre seria um negócio vantajoso. No entanto, Proença Junior disse que para aderir a esta modalidade, o usuário deve solicitar com seis meses de antecedência a migração.

Para o presidente da ACIPG, Douglas Fanchin Taques Fonseca, este tipo de negociação da de iniciativa da Copel é interessante, pois permite ao empresário prever o custo com energia elétrica, considerando a produção, por um longo tempo e se planejar. Para a Copel também é bom porque a medida que começa a vender antecipadamente, ela também pode se planejar para mais investimentos. “Os dois lados saem ganhando, é bom para o empresário, e bom para a Copel”, disse Fonseca. 

Leia Mais Notícias