Notícias


Palestra na ACIPG esclarece Reforma Trabalhista

20/09/2017


Compartilhe

A palestra sobre a reforma trabalhista, ministrada pelo desembargador do Tribunal Regional do Trabalho, Cassio Colombo Filho, lotou os auditórios da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) na noite da terça-feira (19). Aproximadamente 400 pessoas participaram do evento buscando entender alguns pontos da nova lei, que já foi sancionada pelo presidente e entra em vigor no dia 11 de novembro deste ano.

Com muito bom humor e por meio de explicações simples e de exemplos fáceis de serem entendidos, o desembargador ilustrou vários pontos da reforma. Crítico de muitas dessas alterações, Cassio Colombo Filho afirmou que a mudança foi feita sem discussão ampla com setores interessados da sociedade. “A reforma foi empurrada dentro de um cenário político. Uma reforma que não é discutida, mas aprovada da forma que foi gera desconfiança”, afirmou.

Segundo ele, a mudança vai precisar de muita atenção tanto de empregadores quanto do judiciário, visto que algumas das novas regras serão abertas e devem gerar diferentes interpretações. “O problema é se os empregadores não souberem usar. Está muito em nossas mãos, é muito como faremos as decisões”, explicou o desembargador. Citando pontos positivos e negativos da lei Colombo Filho lembrou que a necessidade da reforma foi muito baseada por conta de abusos cometidos no passado de ambos os lados. “Estamos doentes enquanto sociedade porque não temos o espírito de respeitar as leis simplesmente por respeitar. O problema é mais da estrutura que da legislação”. Ao final da palestra o desembargador abriu espaço para perguntas e esclareceu dúvidas do público.

O presidente da ACIPG, Douglas Fanchin Taques Fonseca, ao fazer a abertura do evento reiterou o compromisso da ACIPG e dos parceiros CDL, Apras e Sindilojas em trazer palestras de interesse da comunidade e dos seus associados. Já para o diretor Jurídico da ACIPG, Gustavo Souza Netto Mandalozzo, o evento foi uma oportunidade única que permitiu aos empresários o contato direto com quem aplica a lei, uma metodologia que deve se repetir dentro de outros temas da área jurídica. “Eles puderam receber informações de quem tem um grande conhecimento, nada de achismos”, disse. Mandalozzo sugere agora que os empresários de Ponta Grossa procurem seus advogados e contadores para que adequem a realidade de suas empresas à legislação que entrará em vigor.





Leia Mais Notícias