Notícias


Marcio Pauliki (PDT) participa de reunião com ACIPG

11/04/2017


Compartilhe

A Diretoria da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG) recebeu na noite desta segunda-feira (10), o deputado estadual Marcio Pauliki (PDT). O parlamentar fez uma explanação sobre o Programa Novo Paraná Competitivo, do Governo do Estado, apontando as diferenças com a primeira fase da iniciativa e as vantagens para o empresariado. Além disso, falou sobre metas cumpridas e em andamento, como também, se posicionou sobre temas polêmicos.

De acordo com Pauliki, a segunda fase do programa Paraná Competitivo possibilitará o aumento na geração de renda, de empregos e a implementação políticas públicas para atrair novas empresas, estabelecimentos comerciais e indústrias. Paulik que é presidente da Comissão da Indústria, Comércio, Emprega e Renda da Assembleia Legislativa, comentou que estudos técnicos nortearam suas sugestões e os objetivos do Programa.

O deputado comentou que o número de empregos diretos gerados por meio dos incentivos concedidos na primeira fase do Programa é de aproximadamente 100 mil e que chega passar de 400 mil se forem considerados os empregos indiretos. Além disso, ressalta que 67% foram criados no interior do Paraná. Porém, Pauliki defende que a segunda etapa será ainda mais abrangente. “Ao contrário da primeira fase do Paraná Competitivo, que priorizou a vinda de indústrias, a nova fase irá abranger novas empresas, distribuidores, estabelecimentos comerciais e demais segmentos empresariais”, disse.

Para a segunda fase, Pauliki relatou que um dos objetivos do Programa é se adequar às mudanças ocorridas no cenário econômico, na legislação do ICMS e às mudanças na gestão fiscal do estado a partir de 2015. “Além de manter a solidez do programa, o governo do estado visa a segurança jurídica e a isonomia de tratamento ao futuro investidor” comenta.

Outra novidade no programa apontada pelo deputado, é que o novo decreto amplia a abrangência com a inclusão de mais segmentos como o e-commerce, comércio atacadista industrial e varejista. “Além disso, o investidor om crédito de ICMS próprio, oriundo de exportações e diferimentos, poderá transferi-los a outros contribuintes credenciados no SISCRED, nas aquisições, em operações internas, para uso exclusivo no projeto de investimento”, explicou Pauliki, que discorreu ainda sobre a possibilidade do parcelamento do imposto. 

O deputado informou que as mudanças estão valendo desde o dia 1º de abril e que a ACIPG é o primeiro local em que o assunto está sendo apresentado formalmente em Ponta Grossa. Pauliki disse que além do programa abranger outros segmentos empresariais, uma das prioridades da medida é valorizar as empresas já existentes no estado. “Assim pretendemos trazer muitos empregos em relação ao comércio, distribuidores, e aqueles que querem crescer no Estado do Paraná”, comentou.

 

Balanço e metas

Pauliki discorreu sobre os recursos trazidos para o município, como também abordou compromissos firmados pelo governador com ele sobre de Ponta Grossa. Segundo ele, dois já foram cumpridos, como é o caso do Programa Nota Solidária e a nova versão do Programa Paraná Competitivo, com os incrementos sugeridos pelo deputado. Os que ainda não foram cumpridos, o deputado citou a vinda de um hospital oncológico para Ponta Grossa e uma reestruturação da Avenida Souza Naves.

Ele conta que quando foi feito o contorno em Campo Largo, os Campos Gerais perdeu a duplicação entre Piraí do Sul e Jaguariaíva. Em virtude disso, cabe uma ação política para recuperar este investimento para nossa região. “Precisamos que a ACIPG nos apoie junto ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER) para obter um investimento de R$ 35 milhões que podem ser utilizados na Souza Naves, através de uma mudança de aditivo, considerando que a situação na Souza Naves é emergencial, pois a região está totalmente urbanizada. Temos 10 vezes mais ocorrências de acidentes do que uma rodovia normal. Precisamos ter a terceira faixa, canteiro central, quatro viadutos de retorno, não adianta apenas lombadas”, disse o deputado, ressaltando que este investimento não é apenas para Ponta Grossa, considerando o alto fluxo de caminhões pela via.

 

Posicionamentos

Temas polêmicos foram abordados e o deputado se pronunciou a favor da Terceirização, porém com algumas objeções no conteúdo da lei. Além disso, se posicionou favorável a revisão da lei e de contratos das concessões públicas e citou tanto o pedágio no Paraná, frequentemente discutido pelos deputados na Alep e o transporte coletivo em Ponta Grossa, como exemplos desta necessidade. Pauliki se demonstrou contrário ao sistema eleitoral de Lista Fechada, mas defendeu o voto distrital.





Leia Mais Notícias