Notícias


Conjove realiza evento para discutir Refis federal

16/03/2017


Compartilhe

O Conselho do Jovem Empresário de Ponta Grossa (Conjove), da Associação Comercial, Industrial e Empresarial (ACIPG) realizará na próxima terça-feira (21), as 19 horas, na sede da ACIPG, um debate sobre o Programa de Regularização Tributária, REFIS 2017, (MP 766/2017), aplicável aos tributos federais. O evento contará com especialistas na área e tem como público alvo o empresariado em geral. As vagas são limitadas.

Desde o dia 1º de fevereiro já está disponível aos contribuintes uma alternativa de pagamento diferenciado de débitos tributários federais em aberto, em discussão administrativa ou judicial, tanto para pessoas jurídicas quanto físicas. Trata-se do Programa de Recuperação Tributária (PRT), instituído pela Medida Provisória 766/2017 e regulamentado pela Instrução Normativa n. 1687/2017, que nada mais é do que um parcelamento especial.

Para discutir este assunto de tamanha importância o Conjove promove em seu primeiro evento do ano, foram convidados o contador João Bulek, formado pela UEPG e pós-graduado em MBA de Gestão Empresarial. Bulek tem experiência em gestão financeira e planejamento empresarial. Além de ser colunista contábil no Diário dos Campos. O outro debatedor é Ricieri Calixto, advogado tributarista, pós-graduado em Contabilidade, Finanças e em Direito Tributário. Calixto é professor de pós-graduação, especialista em parcelamentos especiais e autor de diversos artigos sobre REFIS.

Serão abordadas as vantagens e desvantagens do PRT, oportunidades e pontos de reflexão, os cálculos das parcelas e fluxo de caixa, como também o comparativo com o parcelamento ordinário.

Para o presidente do Conjove, André Severich, o evento é muito importante para este período do ano, considerando que os contribuintes devem estar atentos as duas fases do programa. “A primeira é a adesão, que será entre os dias 01 de fevereiro a 31 de maio de 2017, com os respectivos pagamentos preliminares na modalidade escolhida. A segunda é a fase da consolidação, momento posterior em que as informações serão apuradas no sistema do Fisco e eventuais diferenças quitadas, mas que ainda não tem regulamentação”, disse Severich.

De acordo com o presidente do Conselho, o Programa de Recuperação Tributária deve ser entendido como uma política fiscal que beneficia o do contribuinte, para que regularize seus débitos e do Fisco, para que promova uma arrecadação e destinação equilibrada dos recursos.

As vagas são limitadas, por isso é interessante que sejam realizadas com antecedência pelo e-mail camila@acipg.org.br  ou pelo telefone (42) 3220-7218 (Camila). 





Leia Mais Notícias