Notícias


ACIPG entrega proposições aos deputados eleitos

02/03/2015


Compartilhe

    Em reunião pública realizada na Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), no dia 27 de fevereiro, foram entregues proposições da entidade aos deputados eleitos que possuem domicílio eleitoral no Município. Compareceram ao encontro os deputados federais Aliel Machado e Sandro Alex e os estaduais Márcio Pauliki e Péricles de Holleben Mello. O deputado estadual Plauto Miró Guimarães não pode comparecer, mas enviou correspondência à entidade, que foi lida na ocasião pelo presidente da ACIPG, Nilton Fior.

Na reunião, foram entregues proposições da entidade aos eleitos, que disseram que vão manter diálogo com a ACIPG para acompanhar as solicitações.

A realização do encontro deu continuidade à campanha ‘Vote em candidato daqui’, realizada durante as eleições de 2014. Fior comenta a ação. “Somos testemunhas que a nossa região já perdeu e ficou atrás de outras regiões do nosso Estado, em diversos aspectos, por falta de representatividade política. A proposta da campanha foi de procurou incentivar o eleitor a votar em candidato local, ampliando a representatividade de Ponta Grossa na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep)”.

Fior explica que como o tempo do encontro foi curto para tratar pontualmente as questões, a ideia da diretoria da entidade é dar continuidade à ação. “Planejamos, mensalmente, que um dos nossos deputados venha até a ACIPG, para que ele possa participar de uma reunião, tendo um tempo maior para apresentar, divulgar seu trabalho, ouvir e responder às perguntas. Faremos uma agenda e a encaminharemos para cada deputado”. O presidente também deixou os canais da entidade abertos aos deputados. “Desejamos divulgar o trabalho realizado pelos nossos representantes, para isto, disponibilizamos a Comunicação da ACIPG e seus canais como Revista, Newsletter, site, redes sociais e informativos”, comenta.  

 

Conheça, na íntegra, as proposições que a ACIPG entregou aos deputados federais e estaduais:

Adotar medidas que reduzam o Custo Brasil (entrave no crescimento do País):

1 - Reforma tributária:

“O Brasil é um país caro, com um ambiente de negócios complexo e com baixa competitividade. É necessário ter mais ‘clareza’ sobre os tributos. No Brasil, os tributos são cobrados de forma cumulativa (tributo sobre tributo). O País precisa promover alterações estruturais imediatamente, por meio de uma reforma mais ampla e de ajustes de curto prazo”. Simplificar e desburocratizar o sistema tributário estão entre as ações recomendadas que poderiam aumentar a competividade dos setores.

2 - Melhorias na infraestrutura – rodovias¹, ferrovias, porto, aeroporto² e estruturas de armazenagem;

¹ Construção do Contorno Norte

Readequação dos viadutos de acesso, bem como obras complementares à Avenida Souza Naves, nos acessos da Vila Borato e Cristo Rei

Construção de uma trincheira na BR 376, em frente à Tetra Pak

² Aeroporto em Ponta Grossa, alternativo ao Afonso Pena/Curitiba

3 - Redução do custo e da ‘máquina estatal’

“O contribuinte paga cada vez mais para manter um funcionalismo (que cresce ano a ano), que se mostra incapaz de devolver aos cidadãos, na forma de serviços, o que o Fisco toma como tributo.”Sugerimos a diminuição dos Ministérios e dos cargos de confiança.

4 - Redução da intervenção na economia, que afeta o ambiente de negócios e a disposição dos empresários para investir.

Outras proposições:

1 - Projeto de Lei Complementarque venha a alterar o limite para enquadramento das micro e pequenas empresas optantes pelo Simples Nacional, hoje amparadas pela Lei Complementar 123/06, cuja última atualização de valores ocorreu pela Lei Complementar 139 de 10/11/2011.

2 - Ampliação dos investimentos públicos em educação, saúde e segurança:

- Empreendedorismo - Implantação de conteúdos de Empreendedorismo no ensino médio e superior. Rever com urgência a grade curricular nos níveis de educação, buscando atender necessidades e realidade de cada região; reforçando no currículo de formação de professores, disciplinas como o empreendedorismo, podendo garantir a formação de um profissional competente e comprometido com a educação;

- Ampliação do número de vagas para cursos como medicina e engenharias da UEPG e UTFPR e criação de novos cursos em Ponta Grossa;

- Implementação de ensino on-line gratuito e de qualidade de inglês e outros idiomas em plataforma de acesso livre para todos;

- Implantação definitiva do Parque Eco Tecnológico Prof. Sérgio Escorsim, que será um centro de pesquisa e circulação de empresas. Com isso, teremos mecanismos de favorecimento de aproximação entre as instituições de ensino superior e pesquisa com as empresas e seus produtos com competência regional, estadual, nacional e internacional;

- Cobertura total da população nos programas de saúde básica;

- Ações informativas e educativas para a promoção da saúde (esporte, lazer, saneamento, alimentação e habitação);

- Pleno funcionamento do Hospital Público Universitário Regional;

- Aumento do efetivo policial e seu aparelhamento.

3 - Criação de Agências Regionais de Desenvolvimento

Poderão ser organismos para convergência dos interesses dos diversos setores, capazes de indicar ações públicas prioritárias aos governos municipais e estaduais. As Agências deverão ter orçamento próprio, corpo funcional e técnico administrativo com competência para tratar dos assuntos pertinentes.

4 - Apoio junto ao Ministério das Cidades aoplano de mobilidade urbana da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa.

5 - Urbanização do Distrito Industrial.

6 - Promotoria do Meio Ambiente

Apoio para instalação de uma Promotoria exclusiva para a área do meio ambiente de Ponta Grossa e região.

7- Atualização da tabela do IRPF – Imposto de Renda Pessoa Física

A defasagem na tabela acumulada desde 1996, chega a 64,28%, segundo estudo do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional). Para o Sindifisco, ao decidir vetar a correção de 6,5% este ano à tabela de Imposto de Renda, o governo optou por dar continuidade à arrecadação com menor esforço, colocando mais contribuintes para pagar impostos. 

8 - Apoio à reativação do CDESPONTA– Conselho de Desenvolvimento de Ponta Grossa.

Assessoria de imprensa ACIPG





Leia Mais Notícias